DETRAN.RJ REALIZA FÓRUM ONLINE SOBRE A IMPORTÂNCIA DA MULHER NO TRÂNSITO


Nesta sexta-feira (12), o Detran.RJ promoveu o seminário “Dirija como uma mulher: elas e o trânsito”, no Museu do Amanhã, no Centro do Rio. O fórum foi debatido exclusivamente por mulheres líderes em suas áreas de estudo e encerrou as comemorações do Detran em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.



Para respeitar os protocolos de segurança sanitária, a transmissão do evento foi online, através do canal do departamento no Youtube. O foco do debate foi sobre o importante papel da mulher no trânsito, seja no tráfego diário ou nas aéreas de atuação de estudo.



O presidente do Detran, Adolfo Konder parabenizou as representantes do fórum e enalteceu a importância desse debate no olhar das mulheres. “É necessário reconhecer o fundamental papel da mulher no trânsito. Elas dão o exemplo de como dirigir e isso é visível nas estatísticas. As mulheres são as que menos provocam acidentes e as que menos cometem infrações. No trânsito, elas já dominam, agora é necessário uma maior reflexão para que elas continuem avançando, principalmente no mercado de trabalho”.



Abrindo o fórum, a presidente do Cet-Rio, Simone Costa, explicou sobre o grande desafio da inserção de mulheres no mundo do tráfego, especialmente na tecnologia. “Esse mundo é dominado por homens e é de extrema necessidade que as mulheres passem a atuar nesse novo mercado. Ainda é um grande desafio fazer com que elas se interessem por tecnologia“, relatou. Simone inovou neste ano ao contratar duas operadoras de tráfego motociclistas. Em 32 anos foi a primeira vez que mulheres têm essa função.



A analista de Estatística do Instituto de Segurança Pública (ISP), Louise Silva, abordou dados da violência da mulher, principalmente no momento de pandemia.



“ Estudamos dados e percebemos que no período onde ocorreram medidas mais restritivas, os registros de violência contra a mulher nas delegacias acabaram reduzindo, principalmente nos dois meses iniciais. A partir do momento em que ocorreu os afrouxamentos das restrições, os registros voltaram a ocorrer”, explicou.


A psicóloga Lilian Prates abordou a questão da saúde emocional da mulher nos tempos modernos e de pandemia. “O mercado está se moldando de acordo com o avanço das mulheres. As mulheres são mais prudentes no trânsito, por isso, os índices mostram que elas estão ganhando mais espaço no setor. Na questão emocional, elas tendem a ter mais afeição e isso implica diretamente no trânsito, fazendo com que o tráfego dominado por mulheres se torne mais seguro”, concluiu.



Dados do Detran mostram que as mulheres cometem bem menos infrações e que também são menos vitimadas nos acidentes de trânsito. Em média, elas são 1/3 das vítimas, enquanto os homens foram os outros 2/3.




Fonte: DETRAN.RJ

2 visualizações0 comentário
WhatsApp-icone.png